Terapia inovadora concebida para doentes com periodontite

A periodontite é uma doença dentária dolorosa e destrutiva, originada por bactérias que geram inflamação e provocam a perda de gengiva em volta dos dentes. Sendo uma das doenças dentárias com maior prevalência, e que afeta grande parte da população, os investigadores conceberam uma nova terapia baseada em células estaminais para o seu tratamento.

Até agora, a periodontite era tratada com métodos de combate às infeções, e com Células Estaminais Mesenquimais (MSCs) dos doentes para regenerar os tecidos em volta dos dentes. Contudo, o sucesso das células autólogas depende da idade dos doentes e da qualidade dos tecidos.

Esta nova terapia, desenvolvida pela Universidade de Medicina Dentária de Tohoku, no Japão, propõe a utilização de um método regenerativo que é seguro, eficaz e económico. O tratamento envolve a injeção de MSCs alogénicas de um dador saudável no tecido dentário afetado do doente. As células usadas na terapia designam-se Células Estaminais Progenitoras Mesenquimais Derivadas do Tecido Adiposo (ADMPC), e são isoladas a partir do tecido adiposo de doentes saudáveis.

A utilização de terapias de base celular representa uma abordagem promissora no tratamento de doenças em seres humanos. Este tipo de paradigma de tratamento é importante uma vez que as células estaminais comercialmente disponíveis que representam uma terapia de base celular especificamente desenvolvidas para tratar a regeneração dos tecidos periodontais reduzirão os prazos e o custo, melhorando simultaneamente a garantia de qualidade,

- Masahiro Saito, PhD, Divisão de Medicina Dentária Operativa, Universidade de Medicina Dentária de Tohoku

O nosso estudo demonstra que as ADMPCs são aparentemente mais seguras e não iniciam uma resposta imunitária em cenários alogénicos, permitindo assim explorar a potencial utilização de MSCs alogénicas na regeneração de tecidos. O estudo constitui um passo inicial importante no desenvolvimento adicionais de terapias à base de células estaminais para o tratamento de doenças periodontais.

- Professor Saito, Divisão de Medicina Dentária Operativa, Universidade de Medicina Dentária de Tohoku

O estudo foi realizado em mini-porcos de laboratório, mas para os investigadores, o passo seguinte será a realização de ensaios clínicos em doentes humanos com periodontite. Espera-se que o ensaio produza um nova terapia para a regeneração dos tecidos periodontais.

Poderão surgir opções de tratamento alogénico para doentes cuja idade já não permita uma expansão das células estaminais. Contudo, recomenda-se vivamente o armazenamento de células estaminais da polpa dentária, obtida na infância a partir de um deite de leite. As células estaminais da polpa dentária jovem apresentam um grande potencial de expansão em terapias futuras

Referência:
www.ncbi.nlm.nih.gov/