Orientações para pesquisa em células estaminais

A Future Health Biobank é um banco de processamento e criopreservação de células estaminais projetado para preencher a lacuna entre paciente e centro de tratamento, disponibilizando esse material celular extremamente útil no momento de necessidade do paciente.

A Future Health Biobank não aconselha diretamente acerca de tratamentos. Somos especializados na ciência de células estaminais, e não na aplicação médica, não obstante, podemos fornecer-lhe os recursos necessários para o ajudar a obter informação especializada antes de tomar uma decisão.

Atualmente, existe uma grande quantidade de informação disponível de fontes credíveis que podem oferecer ajuda e orientação especializada. Contudo, é nosso dever informar que nem todos os centros médicos têm como prioridade a preocupação com a saúde e a segurança dos seus pacientes, ao realizarem um tratamento celular. Para evitar este tipo de instituições, recomendamos que procure orientação na seleção de um médico e centro de tratamento nos seguintes sites:

Este site apresenta uma lista dos ensaios clínicos que estão a ser monitorizados pela Food and Drug Administration (FDA). A FDA é uma instituição criada pelo governo dos Estados Unidos da América (USA), com a função de controlar os alimentos e medicamentos, através de diversos testes e pesquisas. Para participar nesses ensaios clínicos, os médicos e as instituições participantes mantêm um padrão muito alto de supervisão regulatória e comportamento ético. Note que os ensaios clínicos estão a ser conduzidos em muitos países e não apenas nos USA. Permitir que a FDA dos USA monitorize um ensaio clínico, agiliza a entrada no mercado dos USA e, portanto, obter aprovação da FDA, é desejado por muitas empresas que pretendem disponibilizar tratamentos.

A Organização Mundial da Saúde regista e monitoriza os ensaios clínicos em desenvolvimento. A opção “pesquisa avançada” permitirá que pesquise, por país, os ensaios clínicos a decorrer perto da sua localização.

A Unidade de Ensaios Clínicos do Conselho de Pesquisa Médica (MRC CTU), da University College London é um grupo do Reino Unido que mantém e recruta os participantes para os ensaios clínicos. Eles projetam e conduzem ensaios clínicos, e ainda reúnem os resultados de vários estudos que analisam a mesma doença ou condição.

ISRCTN é onde se regista os ensaios clínicos e os seus resultados, incluindo informações de contacto para ensaios específicos.

Um banco de dados pesquisável que reúne centros de terapia celular credenciados nos USA, Austrália, Canadá e Nova Zelândia. A Fundação para a Acreditação de Terapias Celulares (FACT) foi fundada em 1996. Estabelece padrões para práticas médicas e laboratoriais de alta qualidade em terapias celulares. A FACT é uma corporação sem fins lucrativos, cofundada pela Sociedade Internacional de Terapia Celular (ISCT) e pela Sociedade Americana de Transplante de Sangue e Medula (ASBMT) para fins de inspeção e acreditação voluntários no campo da terapia celular.

Disponibiliza uma lista de centros de pesquisa com células estaminais de todo o mundo, cada um com um link clicável no site da instituição.

O site da Sociedade Internacional de Pesquisa em Células Estaminais agrega um conjunto muito vasto de informação, tal como por exemplo, um “Manual do Paciente” que pode ser descarregado, este manual responde, de forma detalhada, a muitas perguntas comuns sobre o processo. Também descreve bem as diferenças entre tratamentos aprovados, estudos clínicos e intervenções experimentais.

Acesso a células estaminais para uso em tratamento

Para ter acesso a um tratamento com células estaminais, é necessário que primeiramente tenha acesso a células estaminais compatíveis.

O que pode revelar-se difícil, dependendo da etnia e dos antecedentes do paciente, a probabilidade de encontrar células estaminais compatíveis, pode ser a de um em dezenas de milhares.

Em alguns casos, estas células podem ser isoladas no momento da necessidade do indivíduo através de procedimentos invasivos, como a colheita de medula óssea no interior dos ossos pélvicos. Contudo existem limitações a esta técnica. Como todas as células do corpo, as células deterioram-se com a idade e, portanto, pode não ser possível de as isolar tão facilmente quanto outros métodos ou, a qualidade das células isoladas poderá ser baixa. Por outro lado, a necessidade de acesso às células pode ser urgente, e recorrer a tais procedimentos pode demorar algum tempo.

É por estas condicionantes, que armazenar células estaminais no início de vida se revela vantajoso. Elas podem ser colhidas no momento único do nascimento, através do cordão umbilical, ou por outros meios não invasivos, como a polpa dentária do dente de leite de uma criança. Ambos os métodos permitem que as células sejam isoladas no início de vida e, como resultado, preservam as suas características juvenis, o que significa que são extremamente funcionais para serem usadas em tratamento.

É ainda importante realçar que elas estarão disponíveis no momento em que o paciente necessite delas. É por isso que milhares de pais em todo o mundo aderem aos nossos serviços de criopreservação de células estaminais, para proteger a saúde futura de seus filhos.